Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços certamente cairão; Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão. (Isaías 40:30-31)

Rumo à vitória!

Minha história

Quando nasci, era uma criança problemática...minha mãe ficou em trabalho de parto por 3 dias e eu quase morri. Nasci roxa devido à falta de ar, já estava em sofrimento, e não fui amamentada...tinha problemas de asma desde bebê e sempre tive saúde frágil, nasci magrinha e pequena, e foi assim até uns 7, 8 anos...diante disso tudo, foi-me dado todo tipo de vitamina e estimuladores de apetite, e aos 9 anos já comecei a ficar obesa...e assim que entrei na adolescência, deixava de comer para me manter magra. Conseguia me manter magra, mas só pulando as refeições...e mesmo assim não era magra, o meu menor peso foi 49kg aos 14 anos, e cheguei neste peso pq ficava sem almoço e janta... nesta fase também começaram os meus problemas com a pressão, e desde os 15 anos tomo remédio e sou considerada hipertensa. Depois disso meu peso ficou entre 55 e 57kg (o que não é magra para 1,57 de altura. Foi assim até que, aos 17 anos,  tive meu primeiro filho, o Lucas e comecei a engordar, não muito, a cada ano aumentava uns 2 kgs, e fiquei em média com 65 kg, e a partir daí comecei a procurar médicos endocrinologistas e fiz todos os tipos de dieta...no primeiro mês até consegui perder 6 kg, mas com muita dificuldade, e não consegui ter disciplina o suficiente para me manter com o peso ideal...a obesidade é uma doença, e como vi uma vez Dr. Dráuzio Varella falar, o indivíduo que nasce pra ser gordo, principalmente os de baixa estatura, sempre terão que se vigiar em relação ao peso, alimentando-se pouco realmente, e eu não consegui fazer isso. Relaxei e depois de uns 4 anos, grávida do segundo filho, continuei a engordar, e depois do nascimento dele, cheguei a pesar 74 kg, pronto, foi o mais magra que estive desde o ano de 2003, e a cada ano que passou, só acumulei mais quilos. Em 2007, cheguei aos 96 kg, a hipertensão só piorava, comecei a tomar remédios para emagrecer (com orientação médica) e comecei a fazer aeróbica, com isso tudo, cheguei aos 84 kg, mas tive que parar o remédio e todos os exercícios físicos, pois minha pressão começou a ficar alta demais, dava picos de 18/10, 20/10... e foi assim que  atingi os 100 kg, e pronto, há alguns anos, perdia peso, ganhava o dobro, em 2009 tive depressão e comecei a não me aceitar de jeito nenhum, fiz o tratamento para depressão, mas continuei sem auto estima e deixando de viver muitas coisas que gostaria...tinha indicação para a cirurgia, mas tinha muito medo...então foi aí que eu, como águia que sou, tomei a difícil decisão...fazer a gastroplastia. Uma decisão difícil e radical, mas que foi muito bem pensada, e que com certeza foi a minha última esperança na luta contra a obesidade, pois antes de decidir, tentei tudo que estava ao meu alcance...essa consciência eu sempre tive, que a cirurgia não é milagre, e que deve ser tratada sempre como uma última opção para quem já tentou tudo!
Se você não entendeu o porque não me identifico com a borboleta (símbolo dos gastroplastizados), leia o link A ÁGUIA, que vc vai entender do que estou falando...
um grande beijo e curtam o blog!

Danielle Santana